Peixe Ornamental


Olá, mundo!

Posted in Sem categoria por dumdummusica em 18 de Abril de 2012

Welcome to WordPress.com. After you read this, you should delete and write your own post, with a new title above. Or hit Add New on the left (of the admin dashboard) to start a fresh post.

Here are some suggestions for your first post.

  1. You can find new ideas for what to blog about by reading the Daily Post.
  2. Add PressThis to your browser. It creates a new blog post for you about any interesting  page you read on the web.
  3. Make some changes to this page, and then hit preview on the right. You can always preview any post or edit it before you share it to the world.

Blue Tang

Posted in Blue Tang,Peixes Marinhos,Ph Acido por dumdummusica em 17 de Abril de 2012

lmd_source=”23891348″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Nome genérico : Blue Tang
Nome científico : Paracanthurus hepatus
Aquário mínimo : 450 L
Habitat original : Oceanos Índico e Pacífico
Família : Acanthuridae
Ph : min :8,1 max :8,4
Temperatura : min :22ºC max : 29ºC
Salinidade: 35%
Tamanho máximo : 31 cm
Manutenção : Média
Circulação: Forte
Agressividade : Pacífico
Alimentação : Zooplâncton, algas filamentosas, microalgas, esponjas, macroalgas, pedaços de peixe, camarão, carne, congelados, patês, ração.
Características : O Blue Tang é um peixe que ficou popular após sua aparição no filme “Proucurando Nemo”. Ele é um peixe encantador, porém sensivel a Íctio, portanto é aconselhável quarentená-lo antes de soltálo no aquário principal.Os Blue Tangs começam a vida com a cor amarela, depois ficam azuis com sua cauda amarela e finalmente ficam totalmente azuis.
Reprodução :Ocorre em águas transparentes, de muita correnteza, em recifes desprotegidos, Porém não é conhecida em cativeiro.

Gold Kasanga

Posted in Cichilidae,G por dumdummusica em 16 de Abril de 2012
lmd_source=”23886166″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;

Nome Popular: Gold Kasanga
Nome CientificoAltolamprologus compressiceps.
Família: Cichlidae.
Origem: Lago Tanganyika
CaracterísticasO corpo, característicos dos Calvus; curto, grosso e com a cabeça em forma de cunha (testa bem inclinada) e boca grande levemente voltada para cima. É de um amarelo dourado, bem forte, com várias faixas transversais escuras; quase pretas pelo corpo. A cabeça é amarela e apresenta uma única faixa longitudinal e preta que sai da boca e passa pelos olhos, formando uma espécie de máscara.
Barbatanas dorsal e caudal amarelas do mesmo tom do corpo; as barbatanas peitoral e anal são amarelas de um tom bem mais claro.
ComportamentoSão calmos e pacíficos, demonstrando somente uma certa agressividade para com os da mesma espécie, quando estão em período de reprodução e com o “ninho” formado.

Vive bem com outras espécies, devido ao fato de serem carnívoros e terem a boca grande, não devem ser colocados a outros peixes (e/ou filhotes) muito menores que eles.

Posição no Aquário: Todo o Aquário 
pH: 8.0 a 9.0 
Tamanho Adulto: 13 cm
Alimentação: Onívoros, devem receber alimentos ricos em proteínas, alimentos de origem animal, vivos e/ou congelados. Mas aceitam muito bem alimentos industrializados como flocos e grãos.
Reprodução: Ovíparos, na época de reprodução o macho escava um “ninho” ou acham uma toca nas pedras onde a fêmea deposita os ovos, que logo são fecundados por ele. A eclosão demora em média 72 horas. Em todo período o casal toma conta do ninho.
Dimorfismo Sexual: Bastante difícil de distinguir quando ainda não atingiram a maturidade sexual. Depois disso nota-se que os machos são um pouco maiores que as fêmeas. Os maços mais velhos, também ficam; comparativamente, com a cabeça mais pontuda (testa mais inclinada) que as fêmeas.
Tamanho do aquário: 200l.

var sourceId = “23882906”;var pasta = “701”;var pais = “BR”;var figura = “234×60”;var textoLink = “”;

Acará Sete Faixas

Posted in A,Acará,Ciclideo Americano por dumdummusica em 14 de Abril de 2012
lmd_source=”23881752″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;


Nome Popular: Acará Sete Faixas.
Nome Cientifico: Archocentrus septemfasciatus.
Família: Ciclídeos.
Distribuição: Nicarágua, Costa Rica e Panamá.
Habitat: Encontrado em vários biótipos, a espécie é encontrada em águas correntes e rochosas.
Tamanho: Varia entre 4 e 10 cm.
Aquário: 100 litros é suficiente para um casal, para manter um grupo precisa de algo bem maior. Use rochas e raízes para fornecer abrigo e esconderijo e possivelmente locais de desovas, plantas podem ser utilizadas, mas, com grande possibilidades de serem arrancadas pelos peixes.
Temperatura: entre 21ºC e 27ºC.
pH: entre 7 e 8
Alimentação: Aceita a maioria dos alimentos, tanto vivos como vegetais.
Sociabilidade: São meio agressivos, principalmente em fase de reprodução.
Dimorfismo Sexual: O macho é maior e mais colorido, principalmente na época de acasalamento, as fêmeas tem uma mancha escura na nadadeira dorsal.



lmd_source=”23881744″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;

Lithobates

Posted in Ciclideo Africano,L por dumdummusica em 10 de Abril de 2012

lmd_source=”23887926″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.



Nome Popular:   Lithobates
Nome Científico:   Otopharynx lithobates
Família:  Ciclídeos
Habitat:  África ( Lago Malawi )
pH:  7.5 a 8.5
Temperatura:  24º a 28ºC
Dureza:  7 a 15º gH
Tamanho Máximo:  15cm
Sociabilidade:  Casal
Agressividade:  Pacífico
Manutenção:  Fácil
Zona do Aquário:  —
Aquário Mínimo:  200L
Alimentação:  Flocos, Sticks, spirulina, larvas de mosquito,artêmias
Características  Encontrado no Malawi a profundidades de 10 a 30 metros em cavernas que servem de refúgio e nos fundos arenosos buscando comida. Existem diferentes variedades dependendo da zona geográfica onde habita, apresentando portanto diferentes denominações e coloração. As fêmeas e os juvenis possuem uma coloração marrom, com três grandes pontos negros nas laterais do corpo e quatro menores ao largo da nadadeira dorsal. Estes pontos desaparecem nos machos adultos quando estão tranqüilos. A coloração dos machos dominantes será de um azul intenso. Os dominados adotam uma coloração mais apagada.
Esta espécie é muito pacífica e tímida. É ideal para iniciantes pois não causará problemas aos outros peixes.
Reprodução:  Incubadores bucais, realizarão a clássica postura ” em T ” em algum lugar do fundo ou em alguma pedra plana previamente limpa pelo macho. O macho cortejará a fêmea com movimentos de seu corpo.A fêmea depositará os ovos , o macho os fecundará e a fêmea os recolherá com a boca. Após a postura a fêmea buscará um lugar tranqüilo e seguro para esconder-se dos demais peixes e iniciará a incubação. A fêmea manterá as crias por um período de 21 a 30 dias. Após liberados podem ser alimentados com comida finamente pulverizada.

Kafue Notho

Posted in K,Kafue por dumdummusica em 6 de Abril de 2012

lmd_source=”23887976″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Nome: Popular: Kafue Notho
Nome Cientifico: Nothobranchius kafuensis
Comprimento: 6 cm
Ambiente: Agua Doce, atividades não migratórias.
Aquario: 40 L
pH: 6.7
Temperatura: 22°C à 28ºC
Origem: Naníbia e Zâmbia

Encontrado em muitos habitats, as populações estão atualmente protegidas dentro Parque Nacional do Kafue “Kafue Natinal Park” localizado na Zâmbia. Essa espécie foi considerada em perigo por causa de uma estrada que seria construída em seu principal habitat, como a estrada foi redirecionada para alguns kilometros de distancia, hoje os Kafue se encontram mais seguros nessa região. A captura para o aquarismo também é motivo de grande ameaça.

Acará Bandeira

Posted in A,Acará Bandeira por dumdummusica em 30 de Março de 2012

lmd_source=”23887980″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Nome popular: Acará Bandeira.

Nome científico: Pterophyllum scalare 
Família: Ciclídeo 
Origem: Brasil, região amazônica. 
PH: neutro a ácido – 7,0 a 6,8. Podendo viver em água ligeiramente alcalina.
DH: Mole. 
Temperatura da água: 24° a 28°C. 
Alimentação: Tem predileção por vegetais, gosta de mordiscar plantas suculentas no intervalo das refeições, alimentos vivos, tubifex, artêmia, daphnia. Mas, na verdade, come de tudo. O ideal é variar bastante o cardápio, e de vez em quando oferecer ração à base de vegetais. 
Tamanho médio: Cresce conforme o espaço do aquário, podendo chegar a 15 cm em cativeiro. 
 Aquário ideal: Grande e bem plantado. 
*Apesar de gostar de aquário bem plantado a ornamentação não deve ser muito densa, para que possam nadar livremente. Nada adianta ter um aquário grande e ornamenta-lo com muitas plantas que ocupem em excesso o aquário. Substrato cor e espessura: Não tem preferência por espessura, mais prefere cascalho escuro. 
 Comportamento: De índole sociável e fácil adaptação. 
 Particularidade: Com algumas exceções em especial ao Disco, estas características se aplicam a todas as subespécies de Acará, embora o titulo seja Acará Bandeira. O Acará é um peixe pacífico, calmo e sociável. Convive amigavelmente com outras espécies, mas é temperamental e em alguns momentos pode se tonar agressivo. São vários os motivos que podem irrita-lo: falta de espaço no aquário, manuseio constante, superpopulação e *ornamentação inadequada, são alguns fatores estressantes. A agressividade pode ser momentânea ou sistemática. Quando é momentânea o aquarista não tem com que se preocupar. É normal em comunidade de Acarás um “bate bocas” de vez em quando, sem maiores conseqüências. Quando as brigas são sistemáticas (constantes), o peixe dominante persegue o subjugado, mordendo as nadadeiras e dando cutucadas (encontrões). Ataques constantes debilita o peixe, uma vez ferido torna-se vulnerável à bactérias e fungos e quando não tratado a tempo o resultado é a morte. Neste caso a solução é retirar o peixe mais agressivo do aquário e a paz voltará a reinar. Caso o aquarista retire o peixe mais fraco do aquário, fatalmente o peixe dominante irá encontrar outra vítima. É apenas uma questão de tempo, pois esta é a sua personalidade. Mas isto não acontece em todos os aquários, são fatos isolados que podem ser facilmente evitados.

Não é raro o aquarista ir a uma loja e cuidadosamente escolher um Acará, e introduzi-lo no aquário com todo cuidado. Algum tempo depois este Acará começa a infernizar a vida do seus pretensos amigos, este fato ocorre porque alguns indivíduos tem a personalidade agressiva ou muito dominante, embora seja classificado como pacifico. Neste caso a solução é a mesma, separa-lo do grupo. Territorialista, este é uma característica marcante do Acará e motivo de muita discórdia. O Acará gosta de viver em pequenos grupos (cardume de 3 a 5 indivíduos). Estes grupos demarcam um território onde passam a maior parte do tempo. Quando introduzi-mos no aquário outro grupo de subespécie diferente, este segundo grupo também demarcará o seu território e assim por diante. Se o aquário for grande e bem montado tudo ficará bem. Como já disse um “bate bocas” de vez em quando é normal. O problema maior está na superpopulação, várias subespécies vivendo em um ambiente pequeno, neste caso as brigas serão intensas e constantes. As brigas mais acirradas ocorrem entre as subespécies. As brigas dentro do próprio grupo são poucas e normalmente sem maior conseqüência. É raro o Acará molestar um peixe de espécie diferente gratuitamente, normalmente o acará é respeitado e o invasor se afasta sem maiores problemas. Outra característica do Acará é acasalar-se é de forma monogâmica e duradoura com um indivíduo de sua subespécie: Suponhamos um aquário bem montado com 12 Acarás: 4 Bandeiras, 4 Ouro e 4 Véu. Quando algum destes peixes for procurar um(a) parceiro(a) para se acasalar, irá procurar o(a) parceiro(a) dentro da sua subespécie. São raros os casos de acasalamentos com subespécie diferente. 



Quando o aquarista tem esta sorte e consegue apurar a linhagem por três gerações consecutivas, surge uma nova subespécie. Os acarás são extremamente zelosos com as crias, tomam conta de sua prole e para defende-los de possíveis predadores usam a “força”. O Acará bandeira é o mais popular é muito dócil, quando bem cuidado e vivendo em um aquário harmonioso, em pouco tempo vem comer na mão do aquarista. Já o Ouro é mais territorialista e tímido, costuma dar carreiras, nos peixes que invadem o seu território e gosta de expandir “os seus domínios”. Mas no geral não causa maiores problemas aos outros peixes. Pela sua beleza e graciosidade vale mante-lo em aquário comunitário, desde que seja grande e bem plantado. Quando jovem o Ouro tem o corpo prateado, na fase adulta sua cor vai mudando para um amarelo-prata bem brilhante, ficando mais acentuada na cabeça. O aquarista deve tomar cuidado pois ele se assusta com facilidade. Não gostam de companhias muito “animadas”, e não devem dividir o aquário com peixes roedores de barbatanas. São sensíveis à mudanças brusca de temperatura e ph. Dimorfismo sexual: Fêmeas com oviduto nítido e ventre volumoso. Reprodução: Ovíparos. Relativamente fácil em aquário com plantas e pedras. O macho cuida dos filhotes. defender com toda a determinação esse território das investidas de outros peixes!



Bala Shark

Posted in Aquário,Bala Shark por dumdummusica em 2 de Julho de 2011

lmd_source=”23887985″;lmd_si=”33368086″;lmd_pu=”22249426″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Os Bala Shark é muito popular entre os aquarista, O comportamento pacifico faz com que se adapte com as mais diversas espécies em mundo chamado aquário. Apesar de o nome de “Tubarão” não mantém nenhum grau de parentesco com os temíveis habitantes do oceano, esse nome vem do seu corpo em forma de torpedo e suas longas barbatanas.



São encontrados com facilidade nas lojas de aquarismo. Há relatos na web que chegam atingir 35 cm de comprimento, são muito ativos no aquário, e costumam saltar muito, e por isso se ferem facilmente, por que se choca com freqüência com as paredes dos aquários.



* Curiosidades: Há relatos de criadores que dizem após o choque com a parede do aquário o peixe desmaia e depois de alguns instantes eles retorna a nadar normalmente.


A sua criação em aquário é extremamente simples, são muito resistentes suportando as mais diversas mudanças de temperatura e pH. Apesar de poder ser criado sozinho o ideal é ter pelo menos dois da espécie no aquário.


O bala Shark é cada vez menos encontrado na natureza, nessa febre humana de destruição da natureza, Os pequenos Tubarão Bala não ficou imunes.

Reprodução Dos Bettas

Posted in Aquário,Betta por dumdummusica em 27 de Junho de 2011
Betta Femea

Betta Macho
 O aquário para reprodução de Bettas pode ter cerca de 30 litros, sem pedras ou decoração, apenas com uma planta como a Cabomba. A água deve ser mantida a 15 cm de altura e a temperatura deve estar constante em torno de 28 ºC. É importante que o aquário esteja coberto com uma tampa de vidro. Fêmeas adultas de Betta, com cerca de 5 cm estarão aptas ao acasalamento quando apresentarem o ventre bem volumoso, um ponto branco saliente na região anal (ovopositor) e listras verticais contrastantes com a coloração de seu corpo. Mantenha então a fêmea dentro de um vidro (tipo de conserva) flutuando no aquário onde o macho estará solto, para estimulá-lo a fazer o ninho de bolhas. Liberte então a fêmea, para acasalarem. A desova ocorre quando o macho envolve o corpo da fêmea em um forte abraço, para que ela libere os ovos, imediatamente fertilizados por ele. Antes que cheguem ao fundo, os ovos são coletados pelo macho, com a boca, e colocados no ninho de bolhas. Após a desova total, quando o macho começar a agredir a fêmea, esta deve ser retirada e o macho passa a cuidar sozinho do ninho. A eclosão deve acontecer cerca de 24 a 48 horas após a desova. Após o quarto dia, quando os filhotes já começarem a nadar sozinhos, deve-se retirar o macho e começar a oxigenar a água com uma pedra porosa, já que eles ainda não possuem o labirinto formado.

Baleia

Posted in Aquário,Curiosidade por dumdummusica em 23 de Junho de 2011

O mascote do Santos FC é a Baleia.
Apesar da baleia ser o mascote oficial do Santos FC, o Peixe também é conhecido como mascote pelos torcedores. Tudo começou no primeiro jogo do time como profissional, contra o São Paulo da Floresta, em 1933. O tricolor venceu por 5 a 1. Não bastasse a derrota, os torcedores da baixada tiveram de ouvir os rivais, antes do jogo, chamarem seus jogadores de peixeiros. “Somos peixeiros, e com muita honra”, teria assumido alguém na época. O símbolo foi adotado com orgulho, com direito a variações.
Hoje em dia, o Santos FC se faz representar pela dupla Baleião e Baleinha[12], que animam os jogos do glorioso Alvinegro Praiano no estádio de Vila Belmiro, palco de suas batalhas, levando alegria aos torcedores, bem como a seus filhos.

Página seguinte »